Blog

Sustos passados

segunda-feira, setembro 30, 2013

Gente, que susto ! Bom, passado já o desespero do meu pai, excelentíssimo, agora já encontra-se em sua forma normal: reclamando e ranzinza. Nenhuma novidade, infelizmente, já que nosso amigo fugiu depois da batida e ninguém anotou a placa. Ficamos com uma moto na oficina nos cobrando 1.500 facadas. Ainda não sabemos ao certo o que fazer a esse respeito, mas na minha opinião, já que meu pai declarou que não vai mais andar de moto, visto que é o seu segundo acidente e seus 20 anos se foram a algum tempo, então defendo que devemos vender, pelo preço que for, e não pagar o conserto, pois esse valor não vai ser reavido pela venda.

Deu pra entender ? Para que pagar conserto se não vamos vender por um preço a altura ? Se vamos nos livrar disso, vamos nos livrar de uma vez. Moto por moto, caso ele queira lembrar de como é o vento na franja, ainda está guardada a Sundown antiga no fundo do baú.
Estresse liberado, voltemos ao assuntos menos fortes... ou não !


Pessoal

Somos mais fortes do que isso

sexta-feira, setembro 20, 2013

Engraçado como um minuto pode mudar tudo. Mesmo eu parecer esperar acontecer alguma coisa desse tipo, somente quando é grave o suficiente a gente pode parar e ver como realidade está para quem quiser ver.
 
Isso já tinha acontecido uma vez, mas ele só tinha torcido o pé e arranhado algumas partes. Hoje, depois de esperar por 5 horas na entrada do HPS, já estava extremamente irritada por esperar, esperar e não tem notícia alguma, sem saber se estava vivo, morto, quebrado, consciente ou sabe-se lá como. Minha mãe tentou duas vezes se informar e nada. Com todo o resto de paciência que me restou, consegui que a telefonista da entrada me conseguisse acesso a onde ele estava. Ficamos com: clavícula quebrada, barriga e mãos doendo e o pior de tudo foi a memória, ou a falta dela.
 
Perguntas como "Cadê a moto?", "O que aconteceu ?", "Que dia é hoje ?", "Acredita que sonhei com isso ?" e entre outras foram questionadas várias e várias vezes repetidamente. Numa comparação rápida, diria que ele ficou com a memória da Dory, e com o humor também, nada típico do meu pai. Tudo que eu sabia era o que fui informada quando liguei pro celular dele e a enfermeira que o socorreu disse: "Ele se acidentou, já está consciente e estamos esperando a Samu.". A lembrança de ter falado comigo no celular também não está lá.


Por mais que esse quadro de desmemoria seja péssimo, não estou preocupada. O que me faz sentir um pouco mal, mas por um lado ele está bem, não quebrou nada muito grave, aparentemente pode caminhar. O Neurologista ainda não deu alta, para deixa-lo em observação. Amanhã de manhã vamos ver se melhorou seu estado e nos começar a preocupar com a retirada da moto, atestado para o trabalho e outras burocracias.
 
Isso tudo não expressou bem o que eu sinto no momento e aquilo que senti enquanto esperava sem saber nada. Chegando em casa depois de 7 horas, só penso que amanhã será um dia melhor para todos nós. Acredito nisso, quero acreditar muito nisso.
 
Por fim, te amo pai.

Música

Glee me apresentou

quarta-feira, setembro 04, 2013

Oie, oie, oie. Como tinha dito no post passado, andei nessas últimas semanas viciada e maluca vendo Glee de cabo a rabo. E hoje vim mostrar as músicas que conheci através deles. Vou postar somente as originais, pq sei que muitos tem preconceito com a série, mas quem quiser vem os cover (que na minha humilde opinião são excelentes) vou deixar o link também.
 
It's Time - Imagine Dragons
{versão Glee}
 
 

Sorvete de Girafa

Temos um Ateliêr de Amigurumis e outras peças super fofas. Vêm nos seguir!

Quote

"It's just a sparkle but it's enough to keep me going.
And when it's dark out, no one around, it keeps glowing!"
- PARAMORE -